SONHOS

O Poder dos Sonhos

Não seja empurrado pelos seus problemas. Seja impulsionado pelos seus sonhos!



segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Momentos de amor - Autor Desconhecido



Amar torna a vida muito melhor por esse motivo não espere datas importantes ou especiais para falar de amor, sempre é bom ouvir uma frase de amor quando não estamos esperando e justamente por ser inesperada essa frase de amor é tão linda e especial. 

Cada hora que passa eu fico mais feliz... Sabe por quê? É uma hora a menos pra eu poder te ver 

Garotos se apaixonam por aquilo que vêem. Garotas se apaixonam pelo que ouvem. É por isso que as meninas usam maquiagem e os meninos mentem 

Eu não vim fazer juras, nem promessas. Estive na sua vida por esse curto período de tempo com a intenção de mostrar a você o quanto nós poderíamos ser felizes... Mas fui condenada antes disso... Lembre-se, amei você todos os dias em que estivemos juntos 

Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido 

Às vezes é preciso parar e olhar para longe, para podermos enxergar o que está perto de nós. Foi nesse instante que acabei te vendo 

Esquecer um grande amor não e fácil, pois se fosse fácil não seria amor 

As pessoas podem esquecer o que você fez, o que você disse, mas nunca esquecerão o que você as fez sentir 

Amar não mata ninguém, o que mata mesmo é ver seu amor nos braços de um outro alguém 

Nunca digas que teve um grande amor e o esqueceu, só porque conseguiu falar dele sem que seus olhos enchessem de lágrimas. Um amor não morre, somente dorme nos braços da esperança 

Sou livre quando sou capaz de amar sem nada exigir!


(Autor Desconhecido)

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

VOAR NO ESPÍRITO ( De Saray Lacerda) Elizabete Lacerda


Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

sábado, 14 de setembro de 2013

Os dois horizontes - (Machado de Assis)



Os dois horizontes

Dois horizontes fecham nossa vida:

Um horizonte, — a saudade
Do que não há de voltar;
Outro horizonte, — a esperança
Dos tempos que hão de chegar;
No presente, — sempre escuro, —
Vive a alma ambiciosa
Na ilusão voluptuosa
Do passado e do futuro.

Os doces brincos da infância
Sob as asas maternais,
O vôo das andorinhas,
A onda viva e os rosais.
O gozo do amor, sonhado
Num olhar profundo e ardente,
Tal é na hora presente
O horizonte do passado.

Ou ambição de grandeza
Que no espírito calou, 
Desejo de amor sincero
Que o coração não gozou;
Ou um viver calmo e puro
À alma convalescente, 
Tal é na hora presente
O horizonte do futuro.

No breve correr dos dias
Sob o azul do céu, — tais são
Limites no mar da vida:
Saudade ou aspiração;
Ao nosso espírito ardente,
Na avidez do bem sonhado,
Nunca o presente é passado,
Nunca o futuro é presente.

Que cismas, homem? — Perdido
No mar das recordações,
Escuto um eco sentido
Das passadas ilusões.
Que buscas, homem? — Procuro,
Através da imensidade,
Ler a doce realidade
Das ilusões do futuro.

Dois horizontes fecham nossa vida.

(Machado de Assis)

Renascer - Saryta


Renasço.
Eis de novo
a vida fluindo,
o sangue agitado,
o corpo fremente,
o coração cantando.
Sinto cada poro,
cada vibrar,
cada desejo.
Sinto-me inteira,
e renasce o íntimo,
renasce a alma,
renasce a emoção,
volto a viver.
Não tenho medo,
não há lugar
para nada além de você,
desse renascer gostoso e potente
dentro de mim.
Que me importa a mim,
- por quanto tempo -
um dia,
um mês,
um ano,
uma existência?
Vale viver,
vale saber você,
saber de nós,
saber de mim.
Não quero pensar,
nem sofrer ,
tampouco chorar.
Quero estar com você,
sentí-lo na carne,
na alma,
na vida novamente a vibrar,
a cantar, a sorrir.
Quero usufruir do pouco
que teremos
sorvendo sôfrega cada instante.
Renasço em você,
por você
e para você.

(Saryta)

sábado, 7 de setembro de 2013

Mistério - Florbela Espanca


Gosto de ti, ó chuva, nos beirados,
 Dizendo coisas que ninguém entende!
 Da tua cantilena se desprende
 Um sonho de magia e de pecados.

 Dos teus pálidos dedos delicados
 Uma alada canção palpita e ascende,
 Frases que a nossa boca não aprende,
 Murmúrios por caminhos desolados.

 Pelo meu rosto branco, sempre frio,
 Fazes passar o lúgubre arrepio
 Das sensações estranhas, dolorosas…

 Talvez um dia entenda o teu mistério…
 Quando, inerte, na paz do cemitério,
 O meu corpo matar a fome às rosas!

Florbela Espanca

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Horizonte - anonimo


O sofrimento nos amadurece, nos ensina e abre os horizontes para a felicidade.
Anônimo

Amor- Fernando Pessoa


O amor romântico é como um traje, que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formámos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão. Só o não é quando a desilusão, aceite desde o princípio, decide variar de ideal constantemente, tecer constantemente, nas oficinas da alma, novos trajes, com que constantemente se renove o aspecto da criatura, por eles vestida.
Fernando Pessoa

domingo, 18 de agosto de 2013

Emoções secretas - Martha Medeiros


Toda felicidade é construída por emoções secretas. Podem até comentar sobre nós, mas nos capturar, só com a nossa permissão. " 

(-A minha felicidade não é a sua-) 
Martha Medeiros 

sábado, 17 de agosto de 2013

Ponta de Areia




A sombra - Carlos Drummond de Andrade


À sombra doce das moças em flor, 
gosto de deitar para descansar. 
É uma sombra verde, macia, vã, 
fruto escasso à beira da mão. 
A mão não colhe... A sombra das moças 
esparramada cobre todo o chão. 

As moças sorriem fora de você. 
Dentro de você há um desejo torto 
que elas não sabem. As moças em flor 
estão rindo, dançando, flutuando no ar. 
O nome delas é uma carícia 
disfarçada. 

As moças vão casar e não é com você. 
Elas casam mesmo, inútil protestar. 
No meio da praça, no meio da roda 
há um cego querendo pegar um braço, 
todos os braços formam um laço, 
mas não se enforque nem se disperse 
em mil análises proustianas, 
meu filho. 

No meio da roda, debaixo da árvore, 
a sombra das moças penetra no cego, 
e o dia que nasce atrás das pupilas 
é vago e tranquilo como um domingo. 
E todos os sinos batem no cego 
e todos os desejos morrem na sombra, 
frutos maduros se esborrachando 
no chão. 

Carlos Drummond de Andrade
 

terça-feira, 23 de julho de 2013

Saudades - Khalil Gibran


Ainda ontem pensava que não era 
mais do que um fragmento trêmulo sem ritmo 
na esfera da vida. 
Hoje sei que sou eu a esfera, 
e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim. 

Eles dizem-me no seu despertar: 
'Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia 
sobre a margem infinita 
de um mar infinito'. 

E no meu sonho eu respondo-lhes: 

'Eu sou o mar infinito, 
e todos os mundos não passam de grãos de areia 
sobre a minha margem'. 

Só uma vez fiquei mudo. 
Foi quando um homem me perguntou: 
'Quem és tu?'". 

"Não digas: Deus está no meu coração. Diga: eu estou no coração de Deus." 

Khalil Gibran 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Sorrindo - ...José Maciel


Olhar no seu semblante,
estes seus olhos brilhantes...
essa expressão tão serena...
Posso dizer-lhe pequena,
que tudo parece lindo,
quando a vejo sorrindo !

Um sorriso que expressa,
como é o seu coração...
que embora sido traído,
por vezes desenganado,
ainda oferece ao mundo,
um sorriso apaixonado.

Sinal de que já acordou
daquele sonho passado,
por tantas vezes chorado
com a dor de uma saudade,
voltando à realidade
à uma nova verdade.

Voltou a sorrir para todos,
enxugou todas as lágrimas,
seu rosto se iluminou.
O sol está mais brilhante
te mostrando o caminho
de uma nova felicidade.

Assim quero vê-la, amiga...
Esbanjando alegria...
Se outra ilusão tiver
(são fases de nossas vidas),
para curar suas feridas,
um conselho de amigo:

- Simplesmente, menina,
Sorria !!!
José Maciel

domingo, 21 de julho de 2013

VOA LIBERDADE. - (Ralph Emerson)



A liberdade é um fato de experiência que não pode ser negado. Não se trata contudo de uma liberdade absoluta. Como tudo o que diz respeito só homem, ela é limitada e parcial. 


(Ralph Emerson) 

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Lua e Flor - Clarice Lispector


Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca. 

Clarice lispector




terça-feira, 2 de julho de 2013

Prece de Amor (Emmanuel)












Deus não deu a vida a nós para ser jogada fora, nós viemos para o mundo ser a sua semelhança, viemos para viver do amor e da fé, lutar pela nossa salvação e tornar-se eternos. 

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pegue Meus Sonhos - Vilma Galvão








 Pegue os meus sonhos,


leve-os com você para onde for...

Estes sonhos não valem nada sem você,
eles foram sonhados juntos,
foram construído de amor,
não me valeria nada sem você...



Pegue meus sonhos e leve contigo

guarde-os com carinho,
para o caso de precisar sonhar.
Eles são os mais lindos
que alguém poderia criar...




Pegue meus sonhos,

não me farão falta,
já que o vazio que fica
é o vazio de não ter você
não te tendo mais,
a vida,
também se torna inválida...




Leve-os,

estará levanto quase tudo de mim...
Nos meus sonhos, em cada um deles,
você também se encontrará,
porque tudo o que eu sonhei
foi ter você para sempre...




Pegue meus sonhos,

nele você também poderá me encontrar
quando sentir saudades...




Quando estiver triste,

eles poderão lhe trazer alegria,
pois neles coloquei tudo o que eu tinha,
o meu amor por você!


  Vilma Galvão

Olhos Mortos - Vinícius de Morais


Rio de Janeiro

Algum dia esses olhos que beijavas tanto 
Numa carícia sem mistérios 
Olharão para o céu e pararão. 
Nesse dia nem o teu beijo angelizante 
Poderá novamente despertá-los. 
A luz que lhes boiava nas pupilas 
Tu a verás talvez na face magra 
Do Cristo prisioneiro entre as mãos crispadas. 
Eles serão brancos - a imagem desse céu alto e suspenso 
Que foi a sua última visão. 
Eles não te dirão mais nada. 
Não te falarão aquela linguagem extraordinária 
Que te repousava como uma música longínqua. 
Não olharão mais nada que uma distância qualquer, longe 
Uma distância que nem tu nem ninguém saberá qual é. 
Eles estarão abertos, compreensivos da morte, parados 
Nem tu conseguirás mais despertá-los. 
E eu te peço - tu que tanto amavas repousá-los 
Com a luz clara do teu olhar sem martírios - 
Não os prendas à angústia triste do teu pranto. 
Silêncio... silêncio... Beija-os ainda e vai... 
Deixa-os fitando eternamente o céu

Vinicius  de Morais

quarta-feira, 3 de abril de 2013

gosto - Caio Fernando Abreu



Gosto de pensar que quem já morreu fica num lugar quentinho, que a gente não vê, cuidando de quem ainda não morreu. E se você quiser agradar a essa pessoa, é só fazer coisas que ela gostava. Aí ela fica ainda mais quentinha e cuida ainda melhor da gente.
~ Frase de Caio Fernando Abreu

domingo, 24 de março de 2013

A VIDA NO CAMPO - António Assunção


A manhã está a nascer 
                        O galo já está a cantar 
                        Já não consigo dormir 
                        Eu vou-me já levantar


                        Toca o sino na aldeia 
                        O relogio bateu as quatro 
                        Tenho que me levantar 
                        Hoje é dia de ir ao mato


                        Espreitei pela janela 
                        Na rua já ia o José 
                        Vou acender a lareira 
                        E vou fazer o café


                        Bebo um pouco de café 
                        Como um pouco de pão 
                        Ponho a corda ao ombro 
                        E afio o meu podão


                        A manhã está bonita 
                        Canta toda a passarada 
                        Cá vou eu pelo caminho 
                        Ao som da bicharada


                        Assustei-me um bocadinho 
                        Estava a roçar o mato 
                        Olhei para o lado e vi 
                        Era o miar do meu gato


                        Ponho o molho ás costas 
                        Já eram seis e tal 
                        O galo continua a cantar 
                        Berra o gado no curral


                        Deito o mato ás cabritas 
                        Vou á poça do loureiro 
                        A água está por andada 
                        A regar sou o primeiro


                        Deito a água ao milho 
                        Também rego a horta 
                        Está um carro a apitar 
                        Tanho o peixeiro à porta


                        Vou ordinhar as cabras 
                        Vou à adega levo vinho 
                        A mulher vai fazer o queijo 
                        Eu bebo um copo de vinho


                        O sol vai alto está calor 
                        E eu aqui a pensar 
                        Tenho tanto para fazer 
                        Vou mas é descansar


António Assunção