SONHOS

O Poder dos Sonhos

Não seja empurrado pelos seus problemas. Seja impulsionado pelos seus sonhos!



terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Cuide bem de você e vá até o fim! - Luis Carlos Mazzini


Nunca abandone você mesmo no meio do caminho! Nunca. Mais do que isso: cuide bem de você e vá até o fim! 

Deseje intensamente aquilo que procura e não desista de seus projetos. Todos os projetos. E a cada dia aumente a lista de desejos, sonhos e projetos, tá? Você merece muito! Você foi feito para ter tudo! É por isso que deve se animar a pedir tudo que o você precisa. "Peça e receberá. Busque e achará. Bata e a porta se abrirá", isso é bíblico.

Há pessoas que não conseguem ter projetos, sonhos, desejos.... E ao serem questionadas sobre isso, ficam perdidas nas respostas por acharem que não merecem ou porque imaginam que não precisam sonhar, desejar.... Que você não seja mais uma dessas criaturas, viu?

Aquele que pede recebe. Aquele que busca acha! Aquele que bate à porta, ela se abrirá.

Para que o desejo aconteça, é preciso que você queira de todo o coração, viu? De nada adianta querer mais ou menos! Empenhe-se ativamente. Afinal, as coisas não vão cair do céu. E ao se esforçar para obter o que deseja, tenha atitude, tenha personalidade! Esteja certo que se aquilo que você estiver buscando for o melhor para todas as pessoas envolvidas, não lhe será recusado.

Nunca abandone seus projetos, suas metas, seus sonhos. Nunca! São seus sonhos, seus projetos! E tem mais: nem pense que se abandonar a vida vai resolver o seu caso. Pelo contrário, viu? Enfrente tudo e deseje tudo o que há de melhor no mundo! 

Seja sempre responsável por tudo aquilo que você assumir! Inclusive os planos e desejos.

Bom Dia! Bom divertimento! Paz e amor para o seu coração!

"O Universo está sempre pronto para lhe oferecer o melhor"

Luis Carlos Mazzini

domingo, 27 de janeiro de 2013

Falas de Civilização, e de não Dever Ser - Alberto Caeiro



Falas de civilização, e de não dever ser, 

Ou de não dever ser assim. 
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos, 
Com as cousas humanas postas desta maneira. 
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos. 
Dizes que se fossem como tu queres, seria melhor. 
Escuto sem te ouvir. 
Para que te quereria eu ouvir? 
Ouvindo-te nada ficaria sabendo. 
Se as cousas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo. 
Se as cousas fossem como tu queres, seriam só como tu queres. 
Ai de ti e de todos que levam a vida 
A querer inventar a máquina de fazer felicidade! 




Alberto Caeiro

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

TIVESSES TU NASCIDO UMA FLOR - Augusto Branco


TIVESSES TU NASCIDO UMA FLOR

Tivesses tu nascido uma flor
Serias, sim, como as flores do campo.
Tivesses tu nascido uma flor
Os jardins seriam mais belos!

Como uma canção de amor, 
pelo ar, a fluir,
a Alegria não teria sorriso tão lindo assim:
o sorriso mais simples
e o mais encantador!

Tivesses tu nascido uma flor
- não é nenhum exagero -
Tivesses tu nascido uma flor
o mundo teria muito mais cores!

Por que tudo em você inspira poesia
e a própria Poesia se inspiraria em você
E a vida inteira seria o mais doce sonho
se tivesses tu nascido uma flor...

Tivesses tu nascido uma flor
Serias tu o próprio Encanto
Serias mais que tudo que há de belo...
Por que, minha querida, tudo em você é incrível!

Tivesses tu nascido uma flor
serias, sim, como as flores do campo:
As mais humildes,
as mais inebriantes,
e as mais belas!
- E serias, ainda, a flor mais linda do mundo
!

Augusto Branco

domingo, 6 de janeiro de 2013

Tansformação - Maria Helena Sleutjes


Colar a face na terra
teu rosto -
Sentir 
tua essência
Até me transformar
Num ser de argila
Novamente.
Atravessar descalça
Uma nascente pura
- teu corpo -
Até me transformar
Num ser aquático
Novamente.
Ou apenas,
Voar serenamente
Sobre o deserto
- tua alma -
Ultrapassar o frio
Vencer a fome
Domar o vento
Incinerar o sol ardente
Ousar seguir adiante
Simplesmente
- sem você de novo -

Maria Helena Sleutjes

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Ao Amor Antigo - Carlos Drummond de Andrade


O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

Carlos Drummond de Andrade